Onça-pintada e ariranhas são avistadas na região do Médio Xingu

Data de Publicação: 27/06/2022 16:33

Presença das espécies, ameaçadas de extinção, foi registada pelo monitoramento de fauna realizado no entorno da Usina Belo Monte

O monitoramento de fauna realizado pela Norte Energia em parceria com moradores de comunidades ribeirinhas da Volta Grande do Xingu, no sudoeste do Pará, registrou imagens de uma onça-pintada e cinco ariranhas às margens do Reservatório Intermediário da Usina Hidrelétrica Belo Monte, da qual a empresa privada é concessionária. A onça-pintada (Panthera onca) e a ariranha (Pteronura brasiliensis) estão na Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção, recentemente atualizada pelo Ministério do Meio Ambiente, por isso a presença desses animais na Área de Proteção Permanente (APP) da UHE Belo Monte tem sido muito comemorada pelos biólogos da empresa.

Os biólogos avaliam que a onça-pintada registrada é um macho adulto. As imagens foram feitas por meio de armadilhas fotográficas (câmeras Trap), utilizadas em pesquisas de campo e ativadas por sensores de presença para registrar animais silvestres com a menor interferência humana possível. As câmeras foram instaladas para documentar a presença do grupo de ariranhas, mas acabaram também flagrando o felino. Até então, as equipes só haviam detectado pegadas do animal, já que a captura de imagens não é uma tarefa fácil devido às dificuldades de acesso aos locais e ao comportamento dos animais.

Previsto no licenciamento ambiental da usina, o monitoramento de fauna tem como objetivo avaliar bioindicadores e demostrar o equilíbrio do ecossistema na região da usina. “Essa é uma excelente notícia. A presença de espécies do topo da cadeia alimentar demonstra que a vida prospera no Xingu, com a oferta natural de peixes e outros animais de menor porte, que servem de alimento para as onças-pintadas e ariranhas, atualmente classificadas como vulneráveis à extinção”, explica o Gerente de Monitoramento Socioambiental da Norte Energia, Roberto Silva. 

Monitoramento

A Norte Energia monitora a fauna na região desde 2011, ainda durante a etapa de implantação do empreendimento, e atualmente conta com a participação de moradores de comunidades vizinhas, chamados de “Guardiões da Natureza”, que auxiliam os biólogos, tanto nos monitoramentos quanto nas atividades de educação ambiental junto à população local.

“Os monitoramentos dos grupos faunísticos foram implementados para avaliar a condição da fauna e de medidas mitigatórias a serem implementadas nestas áreas”, explica Roberto Silva. Além de contribuir com a pesquisa científica no Brasil, especialmente na Amazônia paraense, este acompanhamento busca conscientizar a população local sobre a conservação do meio ambiente e da fauna silvestre e fortalecer o equilíbrio ecológico da região. Os resultados dos estudos integram os relatórios apresentados pela Norte Energia aos órgãos competentes e também são divulgados em ações de educação ambiental, promovidas pela empresa.