Laboratórios na UFPA estudam os peixes do Xingu

Outra medida relacionada à preservação da ictiofauna foi a construção de dois laboratórios vinculados à Universidade Federal do Pará (UFPA) para o monitoramento e o desenvolvimento de atividades voltadas a atender a população ribeirinha do Xingu. O foco desse trabalho está na promoção da pesca como fonte de renda da comunidade, respeitando-se as relações culturais envolvidas.

Previstos no PBA, os dois laboratórios estão localizados no Campus da UFPA em Altamira. Em 2014, o Laboratório de Análise de Identificação de Espécies de Peixes entrou em operação, enquanto que o Laboratório para o Desenvolvimento de Técnicas para Criação de Peixes Ornamentais em Cativeiro e Aquário teve a obra concluída e começou a funcionar em 2015.
 
Com o intuito de armazenar as informações sobre o monitoramento da ictiofauna, a Norte Energia mantém um banco de dados sobre as espécies de peixes ornamentais, migratórias e para consumo da região do Xingu.