Preservação do patrimônio histórico

A abertura da rodovia Transamazônica contada por quem viveu os ciclos econômicos da região. Esse e outros importantes registros do passado de Altamira e municípios da área abrangida pela UHE Belo Monte foram alvo de um vasto trabalho de pesquisa, coleta de documentos e entrevistas com pessoas que viveram a história local. 

O resultado das atividades desenvolvidas no Programa de Patrimônio Histórico, Paisagístico e Cultural do empreendimento se materializa em um vasto acervo de bens culturais de natureza imaterial. São 1.606 histórias de vida, 4.747 celebrações e formas de expressão mapeadas, 215 ofícios e modo de fazer, 25.705 lugares e edificações catalogadas, que geraram mais de 278 horas de registros vídeos. 

Em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), os investimentos da UHE Belo Monte vão permitir que o acervo se torne objeto de pesquisas e projetos de iniciação científica, desenvolvidos na Casa Regional de Memória de Altamira, uma estrutura de 8.587 m² de área construída na orla da cidade, com teatro, espaço museológico e arena para apresentações culturais.