Usina a fio d'água e menor área alagada

O atual projeto de Belo Monte é muito diferente do projeto original Kararaô apresentado em 1989. O arranjo utilizado aumentou significativamente a eficiência e a proteção social e ambiental, por meio de medidas que incluíram uma redução da área do reservatório de 1.225 km² para 478 km². Isso garantiu que nenhuma terra indígena fosse alagada pelo empreendimento.

Usina a fio d’água, Belo Monte se caracteriza por ter dois reservatórios interligados por um Canal de Derivação com 20 km de extensão. O Reservatório Principal, formado no rio Xingu, conta com 359 km². Já o Reservatório Intermediário, com 119 km², foi conformado por 28 diques e canais de transposição. 

Dentre os principais desafios de engenharia alcançados nesta obra, destaque para a produção de 69 milhões de m³ de aterro, a escavação de 166 milhões de m³ de terra e rocha, e o lançamento de 3 milhões de m³ de concreto em um período de 4,2 anos. Em termos de movimentação de obras de terra e rocha, a UHE Belo Monte supera as maiores usinas hidrelétricas do mundo.