A história de Belo Monte – Cronologia

1975 – Eletronorte inicia os estudos de Inventário Hidrelétrico da Bacia Hidrográfica do Rio Xingu. Realizado o primeiro mapeamento do rio e o projeto de localização de barramentos.

1980 – Concluído o inventário, começam os estudos para a construção do Complexo Hidrelétrico de Altamira, com as usinas Babaquara (6,6 mil MW) e Kararaô (11 mil MW) – esta última deu origem à UHE Belo Monte. Segundo o estudo daquele período, as usinas exigiriam o deslocamento de sete mil índios, de 12 terras indígenas.

1989 – Conclusão dos primeiros estudos de viabilidade da UHE Belo Monte. Divergências acerca do impacto socioambiental levaram à suspensão do financiamento da obra.

1994 – Revisão dos Estudos de Viabilidade, com diminuição da área inundada e garantia de não inundação das terras indígenas.

2002 – Apresentação de novos levantamentos à ANEEL. O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) é paralisado a pedido do Ministério Público.

Julho de 2005 – Congresso Nacional autoriza a Eletrobrás a completar o EIA.

Agosto de 2005 – Eletrobrás e as construtoras Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Norberto Odebrecht assinam acordo de Cooperação Técnica para a conclusão dos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Socioambiental da UHE Belo Monte.

Janeiro de 2006 – Eletrobrás solicita ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) a abertura do processo de licenciamento ambiental prévio. Começa a ser elaborado o EIA.

Março de 2006 – IBAMA realiza a primeira vistoria técnica na área do projeto.

Agosto de 2007 – IBAMA realiza vistoria técnica e reuniões públicas nos municípios de Altamira e Vitória do Xingu para discutir o Termo de Referência para o EIA.

Dezembro de 2007 – IBAMA emite o Termo de Referência para o EIA.

Julho de 2008 – Conselho Nacional de Política Energética define que o único potencial hidrelétrico a ser explorado no rio Xingu será o da UHE Belo Monte. A ANEEL aprova a atualização do Inventário apenas com esta Usina na bacia do rio Xingu.

Março de 2009 – Eletrobrás solicita a Licença Prévia.

Abril de 2009 – IBAMA realiza nova vistoria técnica na área do projeto.

Maio de 2009 – EIA e Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) são entregues ao IBAMA. 

Fevereiro de 2010 – IBAMA concede a Licença Prévia da obra. Em contrapartida, faz 40 exigências de adequação.

Abril de 2010 – Governo Federal realiza o leilão de concessão para a construção e operação da UHE Belo Monte por 35 anos.

Junho de 2011 – IBAMA emite a Licença de Instalação nº 795/2011, que permite o início das obras da UHE Belo Monte. Nesta mesma data, as obras são iniciadas.

Novembro de 2015 – IBAMA concede a Licença de Operação nº 1317/2015 da UHE Belo Monte.

Dezembro de 2015 – Teste de abertura e fechamento das duas comportas do Vertedouro que liberam água de forma controlada para o Canal que interliga os reservatórios Principal e Intermediário da Usina.

Janeiro de 2016 – Enchimento do Canal de Fuga da Usina Hidrelétrica Belo Monte é concluído.

Fevereiro de 2016 – Conclusão do enchimento dos reservatórios. Primeiro teste de giro mecânico da Unidade Geradora 01 da Casa de Força Principal.

Abril de 2016 – Início da operação comercial do Empreendimento com a liberação das Unidades Geradoras 01 das Casas de Força Principal e Complementar pela ANEEL. 

Maio de 2016 – Inauguração da UHE Belo Monte, no dia 5.

Junho de 2016 – Início da operação comercial da segunda Unidade Geradora da Casa de Força Complementar do empreendimento, no Sítio Pimental. 

Julho de 2016 – A segunda Unidade Geradora da Casa de Força Principal, no Sítio Belo Monte é integrada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e a geração comercial nesta máquina é autorizada pela ANEEL. 

Agosto de 2016 – Autorização da ANEEL para operação comercial da terceira Unidade Geradora na Casa de Força Complementar, no Sítio Pimental, totalizando cinco turbinas em operação.

Novembro de 2016 – Início da operação comercial da Unidade Geradora 03 da Casa de Força Principal e da Unidade Geradora 04 da Casa de Força Complementar

Janeiro de 2017 – Início da operação comercial da Unidade Geradora 04 da Casa de Força Principal e das Unidades Geradoras 05 e 06 da Casa de Força Complementar. Dessa forma, a Casa de Força Complementar está 100% em operação.

Abril de 2017 – Início da Operação Comercial da Unidade Geradora 05 da Casa de Força Principal, liberando mais 611,1 MW ao SIN. 

Julho de 2017 – Início da Operação Comercial da Unidade Geradora 06 da Casa de Força Principal.

Outubro de 2017 – Início da Operação Comercial da Unidade Geradora 07 da Casa de Força Principal, totalizando em 2017 o potencial instalado para Operação Comercial de 4.510,57 MW.

Fevereiro de 2018 – Início da Operação Comercial da Unidade Geradora 08 da Casa de Força Principal.

Junho de 2018 - Início da Operação Comercial da Unidade Geradora 09 da Casa de Força Principal. 

Outubro de 2018 - Início da Operação Comercial da Unidade Geradora 10 da Casa de Força Principal. 

Novembro de 2018 - Início da Operação Comercial da Unidade Geradora 11 da Casa de Força Principal. UHE Belo Monte alcança um total de 6.955,2 MW de potência instalada - sendo 6.722,1 MW da Casa de Força Principal, somados aos 233,1 MW da Casa de Força Complementar, em Pimental.